Professor Orlei e o poder transformador do esporte

21/07/2016

Orlei Moresco é um educador nato. Professor de educação física há 34 anos na cidade de Tapejara, no noroeste do Rio Grande do Sul, ele acredita no poder do esporte para recuperar um aluno com baixo desempenho nos estudos. Desde 1998, quando começou a participar do Projeto Bom de Bola, defende que a maior conquista dos pupilos pode não ser aquela obtida dentro das quatro linhas.

“O mais importante não é ser campeão. No início eu pensava dessa maneira, mas entendi que o projeto vai muito além. O essencial é formar cidadãos, fazendo com que os alunos conheçam outras pessoas e se integrem por meio da prática desportiva”, afirma o professor, que venceu o torneio em 2002.

Segundo Moresco, o maior problema em recuperar um mau aluno é a distância entre as instituições de ensino e a família. Nesses casos a escola precisa de mais aproximação com os jovens, senão dificilmente serão recuperados. “Esses meninos com problemas de disciplina normalmente são vítimas de famílias desestruturadas e é bastante delicado conquistar a confiança para discutir esse tipo de coisa”, explica.

Como professor de educação física, Orlei utiliza a motivação dos estudantes em jogar no Bom de Bola para cobrar boas notas em sala de aula. “Aqueles que praticam esportes por quatro ou cinco anos seguidos dificilmente se perdem no lado ruim da vida. Essa é a maior vitória que podemos almejar”, comemora.

Apoio da comunidade

Moresco lembra com muito carinho do ano de 2002, quando a comunidade de Tapejara ajudou a cobrir custos de viagem e estadia para que os garotos pudessem competir. “Foi impressionante o que fizeram pela equipe. A comunidade realizou ações para arrecadar toda a ajuda financeira que a gente precisava, algo inesquecível para nós”, conta.

De acordo com o professor, o maior incentivo para continuar trabalhando com o Bom de Bola há quase duas décadas vem da alegria e orgulho dos alunos em participar do maior evento de futebol escolar do Brasil. “Eles se sentem gratificados, mesmo que não tenham sucesso dentro de campo. Tudo isso é um enorme aprendizado para eles enquanto jogadores e, principalmente, como cidadãos”, finaliza.

Fotos

Professor Orlei Moresco, de Tapajara

Fotos do arquivo pessoal do professor Orlei Moresco, de Tapejara-RS