As promessas no Machado de Assis, vice-campeão do BB RS

22/11/2016

A intimidade com a bola, a calma no momento da definição e muita segurança diante dos marcadores é o prenúncio de que Bruno Ferreira Pereira, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Machado de Assis, de Igrejinha, tem um futuro promissor no futebol. Ele foi o artilheiro do Bom de Bola do Rio Grande do Sul na edição 2016, com nove gols (marcados apenas na fase final), vários deles dignos de um profissional. Destro, habilidoso e jogando sistematicamente desde os 12 anos, compartilha o mesmo sonho da maioria dos jovens que participam do evento sócio-esportivo: “quero ser profissional”.

É fã do Bom de Bola: “é muito bem organizado, todos levam a sério e podemos viajar, conhecer outros lugares e outras pessoas”. Bruno treina com o grupo duas vezes por semana na base do Esporte Clube Igrejinha, que está na terceira divisão do campeonato gaúcho, porém não se descuida dos estudos. “Não é o meu forte”, admitiu, “mas no futuro vou precisar de tudo que aprender agora”.

O Machado de Assis ficou em segundo lugar no Bom de Bola e teve vários nomes que chamaram a atenção – entre eles dois destaques do evento: o zagueiro Duda (Eduardo Thomasel) e o meio-campista Wesley Dias, além das boas atuações do goleiro Guilherme da Ponte Leandro, que até a final só havia sofrido três gols. “Conseguimos reunir as duas pontas: bom comportamento e desempenho em sala de aula e futebol de qualidade”, comemorava Aline Ressler, professora de educação física e treinadora da equipe. “Estamos radiantes porque é a nossa primeira final, nunca fomos tão longe”. Diante de tantas promessas, a jovem professora precisa de muito empenho para controlá-los, pois alguns dos alunos-atletas já estão sob a observação de ‘olheiros’. “Os egos estão sempre inflados, mas acaba prevalecendo o espírito de grupo”, concluiu.