Dos gramados do Bom de Bola para as quadras internacionais

06/09/2017
Divulgação Lediane Marcolan
“Na quadra ou no campo a paixão pela a bola era a mesma”. É o que garante Lediane Marcolan, mais conhecida como ‘Tampa’, a ala da seleção brasileira de futsal, que entre 2002 e 2005 brilhou no torneio Bom de Bola representando a cidade de Constantina, no noroeste rio-grandense. “Quando jogava o campeonato contava as horas para passar o dia fazendo o que mais amava. O projeto foi determinante para escolher o que queria para minha vida”, recorda.
 
Jogando atualmente no Pescara, uma das melhores equipes do campeonato italiano da modalidade, a atleta guarda boas recordações do período que atuava na grama e lembra que não teve dificuldade para se adaptar ao salão, já que sempre jogou nos dois pisos. Lediane relembra que dos gramados do Bom de Bola só levou lembranças positivas para sua carreira e que mantém as amizades que fez na época. “Não esqueço da ansiedade que não me deixava dormir  nas noites que antecediam os jogos! Eram os momentos mais felizes que tínhamos,” destaca.  
 
A jogadora se diz uma entusiasta do Bom de Bola e reconhece que o projeto lhe deu a oportunidade de se inserir em um meio que poderia trazer uma carreira futura. “É um projeto que deveria ser exemplo no futebol feminino, que trabalha com a continuidade e que há 16 anos proporciona a centenas de meninas uma vivência única de aprendizado”, salienta.
 
No início de 2017 Lediane acertou sua ida para o futsal italiano, o que aconteceu agora no fim de agosto, e na equipe se juntou às suas colegas de seleção brasileira e grandes amigas, Vanessa e Taty. “Este ambiente de amizade com minhas companheiras de quadra me faz recordar do clima que vivia nos campinhos do Bom de Bola”, compara atleta que ainda não estreou oficialmente pelo Pescara. ​